segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Diário de uma estagiária


Depois de ter conversado muito com a coordenadora sobre a caracterização da escola e a proposta pedagógica que a escola oferece, senti a necessidade de estar com os alunos numa sala onde pudesse observar a prática e colaborar com as minhas ações. Manifestei o meu anseio e ela imediatamente me levou até a sala onde eu ficaria a maior parte do tempo, no nível II, com a Profª Mônica, que me recebeu muito bem e disse que precisava muito de uma estagiária para ajudá-la e que estava muito feliz por eu estar ali. Já no primeiro dia senti que havia muito trabalho para fazer, pois percebi que os alunos apresentavam uma certa agitação e indisciplina. Começei a compreender o porquê da coordenadora ter me levado até essa classe.Havia muito que fazer e havia chegado no momento certo.
No decorrer do estágio, conversei com a professora sobre os alunos e ela me contou muitas coisas: que havia muitos alunos com problemas de comportamento devido ao histórico familiar complicado e desestruturado revelando problemas com a aprendizagem, que ela era a oitava professora do ano a estar com a classe, pois muitas professoras assumiam a classe, ficavam um mês, duas semanas e pediam a conta por não aguentarem a indisciplina das crianças. Obtive informação dos alunos que necessitavam de mais atenção, enfim, minha relação com a professora foi de muita troca de informações e o mais importante de muita cordialidade e amizade.
Todos os dias a professora estabelecia uma rotina de trabalho com os alunos tendo como objetivo situá-las no espaço e no tempo, ou seja, ela trabalhava a estruturação espaço–temporal. Geralmente ela construía a sua pauta de trabalho no roda de conversa, onde os alunos davam sugestões e tiravam suas dúvidas. Aliás, na roda da conversa ela explorava a fala das crianças, lia histórias de livros, mostrava as letras iniciais de cada aluno, marcava o dia do mês no calendário. Cada aluno falava um pouco sobre o que havia acontecido no dia anterior e às vezes alguns alunos contavam coisas não muito agradáveis de se ouvir, como por exemplo, que o pai havia batido na mãe, que o pai fora preso e assim por diante.
Depois da roda de conversa, a professora desenvolvia a atividade coletiva, onde era lançada a proposta de trabalho para a classe, geralmente era os cantinhos, a escrita dos nomes e do alfabeto, as montagem de letras,etc. Em seguida íamos lanchar, depois do lanche as crianças escovavam os dentes sozinhas, apenas uma ou outra criança precisava de ajuda. Começavam as brincadeiras e a correria pelo pátio. Depois desse recreio livre e gostoso, as crianças voltavam para a classe onde era proposta uma outra atividade tais como desenho, modelagem, pintura, colagem de figuras.
Pude observar que a Profª Mônica escuta as falas das crianças, dá atenção ao que elas falam, responde sempre de modo paciente as perguntas que são feitas pelos alunos, integrando a fala das crianças na prática pedagógica. Além disso, usa recursos didáticos de acordo com o que estiver disponível na sala com livros, jornais, cartazes, cartão com o nomes das crianças, lousa, brincadeiras com as letras. A professora sempre cuidou para que o ambiente fosse acolhedor, organizado e limpo.
Em relação a metodologia de trabalho, tudo é minuciosamente planejado no HTPC (horas de trabalho pedagógico coletivo). Tive o prazer de estar com a professora no HTPC, onde observei como é feito o planejamento semanal e como são feitas as atividades. As professoras se reúnem por níveis e preparam suas aulas seguindo o plano de ensino da proposta pedagógica da rede municipal.
Além das minhas observações diárias, procurei participar ao máximo das aulas, ajudando a professora com aqueles alunos mais problemáticos. Trabalhei individualmente com esses alunos fazendo as intervenções necessárias, principalmente na escrita do alfabeto e dos nomes, pois esses alunos tinham muita dificuldade em assimilar as letras.
Em relação à matemática, observei que a criança participa de várias situações que envolvem o raciocínio como contar figurinhas, marcar pontos, classificar objetos, repartir materiais. No estágio presenciei que a natureza lúdica e prazerosa dos jogos que a criança tanto adoram serve para afirmar que realmente aprende-se matemática brincando. Um exemplo é a cantiga: A galinha do vizinho bota ovo amarelinho, bota um, bota dois, bota três...Também houve momentos em que a professora aproveitou a conversa na roda para ler uma história de livrinho e contou junto com a classe quantas páginas havia o livro.
Em relação a avaliação, a professora considera que os critérios são apenas referências para saber o avanço de cada um, pois cada um tem suas particularidades. Ela nunca deixou de observar e colecionar a produção das crianças, pois permite saber com estão evoluindo e torna-se mais fácil preencher a planilha de desenvolvimento de cada aluno, além das observações diárias.
**********************************************************************
Esse é um relatório que escrevi com base nas minhas observações no estágio supervisionado.
Nos meus tempos de estagiária, eu carregava um caderninho onde fazia minha anotações...e agora compartilho com vocês.
Abraços a todos.

domingo, 13 de novembro de 2011

Meus primeiros trabalhos com Quilling










Esses são os primeiros trabalhos que fiz. A técnica chama-se Quilling. São tirinhas de papéis enroladas, moldadas e coladas de acordo com o desenho proposto ou criado.

Eu sempre quis aprender essa técnica, mas achava que deveria comprar as ferramentas, que era muito complicado e delicado demais. Que nada! Não precisei comprar ferramentas, basta um palitinho de madeira, várias tirinhas de papéis coloridos, cola e tesoura.

Por enquanto sou uma simples iniciante, mas quero praticar bastante para aplicar na sala de aula.

A professora Helaine que me apresentou e me ensinou a técnica disse que os alunos adoram e que durante a prática do Quilling ficam mais calmos e confiantes.

É soltar a imaginação e criar.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Sugestão de Sondagem: Ditado dos números


  • Preparar com antecedência tirinhas de papel, com espaços para o nome da cada aluno e os números a serem ditados.
  • Entregar as tirinhas para os alunos e pedir que escrevam o próprio nome. Explicar que o ditado é sobre números. Dar um exemplo na lousa para garantir que todas as crianças entendam a atividade proposta.
  • Faça o ditado dos números, um a um, repetindo sempre que for necessário.
  • Recolher os ditados dos alunos para em seguida analisar como entendem os números. É importante registrar suas observações. Colei as tirinhas de todos para ter uma visão melhor de toda a classe.
  • Fazer uma nova sondagem no final do semestre, para avaliar os avanços dos alunos em relação ao conhecimento dos números.
  • Essa atividade é fundamental para obter informações com registros e poder acompanhar os avanços dos alunos em relação aos conhecimentos numéricos.
  • É necessário comparar as informações das duas sondagens para que seja possível avaliar os progressos dos alunos e preparar novas propostas de atividades pedagógicas.
  1. Pode parecer uma atividade simples demais, mas que traz bons resultados
    e que me ajudou bastante no quesito sondagem e a oferecer atividades que possam sanar as dificuldade dos alunos. Por exemplo: há alunos que no número 2.015 escreveram 215, outros no número 1.004 escreveram 104.

    Essa atividade é referente ao PIC ( Programa intensivo de ciclo)
E você tem alguma sugestão para Ditados dos números?

Na revista Nova Escola encontrei uma aula de
Ditados dos números e como intervir nas hipóteses
dos alunos.
Muito legal!

Confira!

sábado, 29 de outubro de 2011

Conte qual o livro que você mais gosta?

29 de outubro - Dia do livro

O livro que mais gosto?
Mais fácil perguntar o que mais gosto de ler?
Os livros que permanecem na cabeceira são
aqueles referentes à Educação.
No momento leio:
Filosofia da Educação da
Maria Lúcia de Arruda de Aranha.

E há aqueles que vou reler para sempre:
  • Olhai os lírios do campo, de Érico Veríssimo.
  • O meu pé de laranja lima, de José Mauro de Vasconselos.
  • Éramos seis, de Maria josé Dupré
  • Capitães da Areia, de Jorge Amado.
E há aqueles que marcaram a infância:
  • Zezinho: o Dono da Porquinha Preta, de Jair Vitória.
  • O rápto do garoto de ouro, de Marcos Rey
  • Sozinha no mundo, de Marcos Rey
  • Um cadáver ouve rádio, de Marcos Rey
  • A ilha perdida de Maria José Dupré
enfim toda aquela coleção Vaga-lume da
Editora Ática.

Ler esses livros me levou ao mundo dos sonhos e fantasias.
Me levou para o mundo real, diferentes mundos
do meu mundo.
Me fez viajar sem sair do lugar.
Me fez chorar, rir e querer contar o que li.
Apaixonei-me por muitos personagens.
Outros nem tanto.

E você? Qual é seu livro preferido? Ou quais marcaram a sua
vida?

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Producão de texto "REESCRITA"


Essa sugestão de produção de texto é fundamental para os alunos desenvolverem o reconto de uma história. Há inúmeros contos que podem substituir o da Chapeuzinho Vermelho. Pode ser
João e o pé de feijão, João e Maria, Rapunzel ou o que o professor preferir.

sábado, 22 de outubro de 2011

V Feira Literária em Indaiatuba















Fotos da exposição de livros da EMEB "Profª Maria Ignêz Pinezzi" na V Feira Literária promovida pela Secretaria da Educação de Indaiatuba.

No evento de hoje todas as escola da rede municipal apresentaram seus trabalhos desenvolvidos durante todo o ano referente ao projeto “Ler faz bem”. A exposição ocorreu no Centro Esportivo do Trabalhador.

Os livros foram construídos artesanalmente visando a produção de diversos gêneros textuais e a
criatividade dos alunos.

Lindo de ver! Registrei alguns momentos de exposição e leitura através das fotos acima.

O que vocês acharam?

Matemática: Dobro e triplo

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Ganhei três livros...

...da campanha do Itaú “Leia para uma criança”. Ainda dá tempo de se inscrever e pedir:
São eles:
  • A festa no céu, de Angela Lago.
  • Chapeuzinho Amarelo, de Chico Buarque.
  • Adivinha quanto eu te amo, Sam McBratney.

Os livros são de qualidade impecável e os gêneros textuais foram bem escolhidos. Ilustrações, autores, histórias: Nota 10!

Vale a pena se inscrever! O prazo para a chegada em casa é de 15 dias.

sábado, 15 de outubro de 2011

Dia do professor

Frases e citações do Facebook


Ao mestre com carinho

Todos os dias ao chegar na escola as professoras se encontram seus alunos na fila  para levá-los para a classe e cumprir mais uma rotina pedagógica.
Antes de subir para a classe, fomos avisadas para aguardar e que os alunos seriam levados para a quadra.
Desconfiei que seria uma homenagem. E estava certa. A coordenadora leu uma mensagem para os professores, os alunos aplaudiram, uma música foi tocada: Ao mestre com carinho.

Pra mostrar pra você que eu não esqueço mais essa lição
Amigo, eu ofereço essa canção
Ao mestre com carinho...
Queria tanto te abraçar.

Alunos entregaram uma singela lembrança para cada professora e professor.  Mas a lembrança maior é o momento que fica.
Aquele momento, preparado com tanto carinho pela coordenação, funcionários e alunos, simplesmente inesquecível.
À equipe da escola  "Profª Maria Ignêz Pinezzi", muito obrigada!

Parabéns a todos os professores e professoras!

domingo, 2 de outubro de 2011

Livros gratuitos

Gosto de ler e consultar livros impressos, de manusear,

    de tocar, de usar marca página,

    explorar o livro, deixar o livro na cabeceira da cama,

    levá-lo no passeio, na viagem, dentro da bolsa.

    Vez ou outra esses sites são úteis para consulta, pesquisa, conhecer o livro

    para futura indicação literária.

    Se for inevitável, não há problema em ler os livros, já que estão disponíveis,

    mas não devemos deixar de comprar os livros nas livrarias.

    É importante lembrar que muitos autores de

    livros não autorizaram o download de suas obras.

    Portanto, é crime. E não vale a pena!

    O desafio nosso de cada dia é

    não deixar o livro impresso morrer e despertar

    o gosto pela leitura.

    O legal é comprar um livro!

    Sites

Livros On Line

http://virtualbooks.terra.com.br/livros_online/livros_online_index.htm


Livros infanto juvenis

http://virtualbooks.terra.com.br/freebook/freebook_crianca1.htm


Turma da Mônica

http://www.monica.com.br/institut/comics.htm


Literatura infantil

http://www.livrosgratis.com.br/cat_29/literatura_infantil/1


Literatura de cordel

http://www.livrosgratis.com.br/cat_30/literatura_de_cordel/1


Livros infantis

http://www.educardpaschoal.org.br/web/leia-nossos-livros-ver.asp?cid=10


AudioBook Infantil

http://audiobookinfantil.blogspot.com/


Projeto contos de Fadas

http://www.educacional.com.br/projetos/ef1a4/contosdefadas/contos.html


Contos infantis

http://www.alzirazulmira.com/

E você tem o hábito de comprar livros? Ou lê os livros no computador?

domingo, 25 de setembro de 2011

Livro "A professora de desenho"

Estou lendo esse livro em voz alta para os alunos. Todos os dias leio uma história, pois o livro trata-se de pequenas histórias. Histórias da vivência escolar que inclui: o primeiro dia de aula, a professora de desenho, os coleguinhas de classe, professores, professoras, emoções, dúvidas, anseios, enfim lembranças de uma infância.
As histórias são narradas na primeira pessoa.
As crianças estão gostando porque tem um final que emociona. E a leitura é fácil de fluir. É como se você estivesse vivendo a situação, tanto pra quem está lendo como para quem está na condição de ouvinte.
As histórias não tem ilustrações. Somente na capa há as ilustrações de Luís Maia. Fica por conta da imaginação de cada um.
Confira!
A professora de desenho e outras histórias
Autor: Marcelo Coelho
Ilustrador: Luís Maia
Editora: Companhia das Letrinhas

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Situações problema com sistema monetário

Lembrando que as cédulas acima são antigas. As novas cédulas com mudança de cor e tamanho já estão circulando.

Régua online

Sabe aquela hora que precisamos de uma  régua e não encontramos?
Na internet, você pode tê-la para consulta.
Tudo sobre a régua:
http://www.reguaonline.com/
Lá você encontra: Imagens de réguas, imprimir a régua, quais os tipos de réguas, unidades de medidas, conversões.
Confira!



domingo, 11 de setembro de 2011

This is my story


www.this-is-my-story.com/v/SY5SC39ZXYA1
link acima é sobre o meu vídeo. Faça o seu.
Muito interessante.

Recebi por e-mail, você tem que digitar o seu nome, sexo, e idade. Pronto: está pronto um filme sobre seu futuro e sua história.

Emocionante!!!

Faça você também.

Clique no link abaixo, forneça apenas 3 dados e veja o resultado.

Pode preencher sem medo, vale a pena ver!

http://www.this-is-my-story.com/

Sob a luz das estrelas

Numa noite fria de outono Marcelo caminhava sobre à luz das estrelas.

Marcelo lembrava de tudo que havia perdido em sua vida. Levava dentro do bolso uma carta cujo texto que tinha finalizar mais tarde.. Seus olhos estavam cansados e seu rosto marcado pela tristeza.

Fechou o casaco até o pescoço. O vento estava frio demais. Acelerou nas passadas. Em seu coração, uma ponta de esperança.

Adentrou-se numa praça que ficava bem em frente à sua casa. Apesar do frio havia algumas pessoas que iam e vinham. Uma música tocava. Crianças brincavam. Cheiro de pipoca e de pastel.

Lembranças de sua família vieram à tona. Sentou-se numa mesinha que servia para jogos. Mas naquele instante precisava terminar a carta.

Suas mãos frias e grandes começaram a escrever. E o seu pensamento estava tão absorto em organizar as frases para a produção da carta que nem percebeu que a sua mulher estava bem na sua. frente.

_Vamos para casa. Nossos filhos estão esperando para comemorar o seu aniversário.

Ele sorriu e a abraçou. Iria entregar a carta depois. Ou talvez nem entregasse mais. A carta deixou de ter sentido. Que importava agora?

Naquela noite, depois da comemoração, convidou os filhos e a mulher para admirar as estrelas da janela da sala de estar.

Votos de amor foram renovados. Estavam juntos. Marcelo não havia perdido o principal de sua vida e agora agradecia a Deus: pela sua família. E isso já bastava para prosseguir.

Autoria: Rosangila Romanin

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

2º concurso de desenho SOS Mata Atlântica


A Fundação SOS Mata Atlântica abre inscrições para 2ª edição do Concurso de Desenhos. É
a partir de 29/8, crianças e adolescentes, de 7 a 14 anos, poderão inscrever seus desenhos com o tema “Atitudes pela Mata Atlântica”. O desenho devem ser inéditos, individual e feito a mão livre em papel A-4.
As inscrições devem ser enviadas por correio ou realizadas pessoalmente na sede da SOS Mata Atlântica (de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h). O desenho tem que estar anexado a ficha de inscrição devidamente preenchida e assinada pelo responsável.
Mais informações sobre o regulamento, premiação pelo e-mail info@sosma.org.br ou telefone (11) 3262-4088 (segunda a sexta-feira, das 9h às 18h) ou acessar o site Portal SOS Mata ATlântica
http://www.sosma.org.br/

sábado, 20 de agosto de 2011

A cigarra e a formiga - Uma lição de vida

Dona Formiga trabalhava para guardar comida, pois o intenso frio se aproximava. Vivia irritada e preocupada. Seus dias era só trabalho.

Num dia intenso de trabalho passou perto da cigarra e a viu com um violão.

A cigarra puxou conversa:

_Olá, dona Formiga. Estou preparando uma música nova. Gostaria de parar um pouquinho e ouvir?Sua opinião é importante.

A formiga respondeu:

_Não posso perder meu tempo com bobagens. Preciso cuidar do meu futuro.

E assim a formiga prosseguiu com os seus afazeres.

Enquanto isso, a cigarra preparava uma composição musical e dizia a todos que essa música iria estourar nas rádios. De tão bonita e de tão bela.

O inverno chegou. A cigarra conseguiu finalizar a música e foi mostrar para a Dona cigarra.

Ao bater na porta, dona Formiga olhou pela janela e viu que era a cigarra. E pensou: agora ela vem! Que interesseira! Que fique lá fora!A minha comida ela não vai ver!

Dona Cigarra ficou horas em frente à casa da dona Cigarra. Veio uma forte tempestade de neve. De tanto frio Dona Cigarra acabou ficando fraca e desmaiou.

No dia seguinte, encontraram a cigarra esticada com o violão e na outra um papel com uma letra de música.

Dona formiga pegou o papel e começou a ler e a chorar ao mesmo tempo. Naquele papel estava escrito uma linda música em sua homenagem.

Então Dona formiga abraçou a cigarra e começou a pedir perdão pela sua indiferença e egoísmo.

E pediu em seu coração para que lhe desse uma nova chance.

Nesse instante, dona cigarra abriu os olhos para surpresa de todos.

E então Dona Formiga e disse:

_ Por favor, não sabia que a música era pra mim. Me perdoe. Me perdoe por tudo.

Então, dona Cigarra respondeu com o seus canto. Os animais fizeram uma roda e começaram a dançar.

E o inverno ficou mais aquecido, mais alegre, mais fraterno.

Autoria: Rosangila



domingo, 14 de agosto de 2011

Diversão é no Quintal da Cultura


Preview image

Todas as tardes assisto o Quintal da Cultura. Programa infantil de qualidade. As crianças adoram porque os apresentadores, Doroteia e Ludovico são atores de teatro, eles cantam, representam, brincam, interagem com as crianças e contam histórias.

Entre uma brincadeira e outra, há os intervalos com os desenhos: Dora, a aventureira, Cocoricó, Pingu, Escola pra cachorro e muitos outros.

É muito divertido. E tudo isso ao vivo.

Confira. Você e toda família vão gostar!

Todos os dias na TV Cultura , de segunda à sexta, as 14h30.

Mais informações e muitas coisas legais
como jogos, atividades, músicas, lá no site:

http://tvcultura.cmais.com.br/quintaldacultura


quarta-feira, 27 de julho de 2011

Sofia quer saber


Era uma vez uma princesa que morava num lindo castelo. O castelo era rodeado de flores e de muitos soldados. A princesa ganhava muito presentes. Desde sua infância, seus pais a encheram de presentes e festas. Seu nome: Sofia.

A princesa Sofia tinha à sua disposição um jardim e um parque cheio de brinquedos. Mas a princesa já não era mais uma criança. Ela tinha 18 anos. Ela almejava por liberdade. Queria sair, conhecer as pessoas e lugares diferentes. Gostava de desenhar vestidos. Vestia suas próprias criações.

O castelo era pequeno pra ela. Foi conversar com o pai a respeito e obteve respostas vagas como "depois a gente vê", "vou pensar". A princesa externou para o pai a sua vontade de sair do castelo. O pai encerrou a conversa com a pergunta:
_ Está faltando alguma coisa pra você, minha filha?

A princesa deu de ombros e foi correndo para o jardim. Não tivera coragem de dizer que estava faltando sim, faltando -lhe o direto de ir e vir não hora que bem entendesse, mas no momento que achava que era o certo.

Mas nada lhe era explicado. Qual razão de tamanha segurança em torno dela?- pensava. Tantos cuidados! Para quê? Para protegê-la? Mas do quê?

E absorta em seus pensamentos adormeceu.

Acordou com um barulho de explosão. Percebeu uma movimentação confusa no castelo, soldados corriam pra lá e pra cá. Se escondeu no meio das folhagens e pressentiu que algo de muito ruim estava acontecendo. Mas quem poderia lhe dizer?

Só restava esperar.

Texto de minha autoria. Imagem: painel feito pela professora Tais numa apresentação de teatro no pátio da escola.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Trabalhando com o cilindro




Materiais:
1 rolo de papel higiêncio vazio
Molde das partes do palhaço
lapis de cor
tesoura e cola

Procedimento:
Listar diversas formas de cilindro.
Com o rolo na mão, propôr que façam um palhaço. Mostrar um modelo. Escrever na lousa as seguintes instruções:
  • Pinte as partes do palhaço
  • Recorte.
  • Cole o que você pintou no rolo.
Está pronto o palhaço.
É importante fazer uma exposição dos palhaços para socializar so trabalhos.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Livros de imagens

Zoom
Istvan Banyai


O que diz para você essa imagem?
O que quer dizer esse vermelho?
O que será? Será uma montanha?
Um desenho infantil?


Trabalhei com esse livro em sala de aula e foi muito bom ver as expectativas nos olhinhos das crianças. Diria que foi um despertar provocador.

Ou seja, é um livro só de imagens, mas que provoca inúmeras reações e deduções em relação às imagens. As imagens parece uma coisa e na verdade é outra. O que o autor quer dizer?

Zoom desperta interesse, estimula o raciocínio, a observação e a imaginação.

Ótimo pra trabalhar sequência de imagens na sala de aula. É importante demorar o máximo possível para virar cada página. Assim os alunos terão mais tempo para a observação. Quando perceber que esgotaram todas as possibilidades de ideias, aí sim passar para a página seguinte.

Também é uma ótima sugestão pra reuniões pedagógicas.

E você? Gostou do livro? O que achou?